10 de mai de 2017

Eu detesto café, mas preciso dele...

Terceiro dia da fase de ataque... Pessoas, esta fase não é de Deus não... Vocês não tem noção... Sem ingerir carboidrato tô me sentindo preguiçosa. Não que essa não seja uma sensação muito agradável nos finais de semana, mas sentir-se assim diante de uma turma de 26 alunos de 5 anos de idade... No way!!!

Não sinto fome, pois tenho comido bem, mas meu corpo tem sentido falta de mais energia. Não tenho vontade nem de sexo (pra vocês verem que a coisa é séria mesmo... rsrsrs). Então, ontem, pra me safar da sonolência, tomei um copão de café às 18h.

Pausa para explicar a vocês que eu não suporto café. As pessoas me acham estranha, pois enquanto todos amam café, eu detesto. Vou ao café com as amigs e, enquanto todas experimentam deliciosas receitas cafeinadas, eu peço um suco de laranja ou um chá... Mas o desespero foi maior que a repugnância.

Resultado: pico de energia... o sono foi embora... mas foi embora pra bem longe, viu? Sim, porque o desgraçado só voltou lá pelas duas da manhã. Cheguei em casa elétrica... 22h e eu estava sentada na cama tocando violão alegremente, como se não houvesse amanhã. Dormi três horas e passei a manhã inteira movida a café. Pra encarar minha tarde, que hoje não é longa, thanks God, já pedi pra querida amiga Jana me conseguir mais um copão de café.

Quando chegar o momento de reinserir os carboidratos, eu vou estar viciada em café e terei me tornado uma pessoa normal, que vai aos cafés com as amigas e pede, como todo mundo, aquele cafezinho esperto.

Tá vendo, até o sofrimento da dieta tem seu lado bom...


2 comentários:

Jana disse...

Amiga querida, pego quantos cafés forem necessários para que sua energia volte ao normal kkkkkkkkkkkk

Geórgia Alves disse...

É isso aí amiga. Nada consome mais energia que um cérebro ativíssimo! Manda brasa moça linda. Louca para ouvir mais de tuas palavras, tuas teorias sobre o amor e a vida.